No

cias

Notícias

Grammy Latino: entenda sobre o processo de filiação e premiação
Publicado em 09/06/2022

Imagem da notícia

Luis Dousbedés, Diretor Executivo de Prêmios, Afiliações e Preservação do Grammy Latino esclarece os bastidores da maior premiação da música latina 

Do Rio 

Quem nunca sonhou em fazer parte ou ser vencedor da maior premiação voltada para a música produzida na América Latina e também nos países da Península Ibérica? Em sua 23ª edição, os ritmos, sonoridades, melodias e canções que moldaram a identidade da música latina passaram pelo palco do Grammy Latino. Com todo esse reconhecimento, fazer parte da premiação, seja como artista vencedor ou como membro afiliado, se torna um sonho cada vez mais comum para o mercado musical. A última edição, em 2021, por exemplo, teve número recorde de inscrições – mais de 18 mil, um crescimento de 20% sobre o ano anterior. Diante disso, Luis Dousbedés, Diretor Executivo de Prêmios, Afiliações e Preservação do Grammy Latino, esclareceu em uma entrevista, os pontos principais que constituem a base da premiação, com próxima edição marcada para novembro, em Las Vegas. 

Contribuindo para fortalecer e valorizar o talento de artistas em mais de 20 países, que gravam em espanhol e português, no ano passado, membros e gravadoras apresentaram mais de 20 mil gravações e vídeos musicais, um aumento de mais de 20% em relação ao ano anterior. Além disso, atualmente, o Grammy Latino conta com mais de 5 mil membros presentes em 43 países. 

Sob o comando do mexicano Manuel Abud, CEO da Academia desde o ano passado, o Latin Grammy vem buscando reduzir a distância entre o Brasil e os demais países latinos. Ele ressalta a importância da premiação fora dos Estados Unidos, atingindo outros grandes mercados latinos, como Brasil, Espanha e México. 

“Hoje vivemos um momento favorável. As mídias digitais e o processo de seleção democratizaram o acesso dos artistas ao Grammy Latino. Isso inclui o mercado brasileiro. Há uma vasta produção musical de alta qualidade que passa pela nossa curadoria. Esse processo aumenta a responsabilidade da Academia na escolha dos indicados e dos vencedores em cada categoria”, destaca Abud. 

Já para o Diretor Executivo de Prêmios, Afiliações e Preservação do Grammy Latino, Luis Dousbedés, além da responsabilidade é essencial deixar claro para a indústria musical os dois pilares da instituição. 

“Há dois pilares importantes no Grammy Latino. O primeiro é o aspecto da afiliação. É importante que o conjunto de membros seja forte e equilibrado, e também que represente todos os gêneros participantes. Há membros votantes, bem como membros associados. Com exceção da votação, os membros de ambos os tipos têm os mesmos direitos”, diz Luis Dousdebés, Diretor Executivo de Prêmios, Afiliações e Preservação do Grammy Latino. 

Confira a entrevista completa com Dousbedés, em Miami, sede da Academia Latina da Gravação (Laras), sobre o processo de filiação ao GRAMMY Latino e suas premiações. 

Como funcionam as afiliações? 
Para ser um membro votante é necessário estar ativamente envolvido na gravação de músicas, como produtor, engenheiro, engenheiro de som ou masterização, vocalista, artista, compositor ou instrumentalista. Os membros associados são pessoas que trabalham no âmbito musical, mas não estão envolvidas na gravação ou criação de música. A Academia Latina garante que os membros sejam representativos dos países ibero-americanos. Após receber as solicitações, o Departamento de Afiliação as analisa e um comitê as aprova. Para assegurar esse equilíbrio, fazemos uma análise mensal, examinamos a demografia dos membros e geramos dados sobre: país, idade, sexo e gênero musical, seja ele urbano, brasileiro, rock ou alternativo. 
 
Como funciona o processo de premiação? 
A música não é estática, ela evolui dia a dia, por isso devemos fazer o mesmo e estar atentos ao que está acontecendo no mercado e sua evolução. Nossas categorias devem representar isso. Trabalhamos muito para analisar dados estatísticos a respeito disso, em vez de reagir a mudanças constantes, por isso nosso processo leva algum tempo. Esse ano temos 53 categorias representando todos os gêneros de música latino-americana, hispano-americana, brasileira e portuguesa. Os músicos frequentemente solicitam mais categorias e gêneros, mas a Academia Latina, ao invés de resistir, garante que tenhamos informações precisas antes de criar novas categorias. 
Dousdebés conta que o processo de premiação leva nove meses a partir de fevereiro, quando a plataforma é aberta a todos os membros, eleitores ou parceiros. Eles podem registrar produtos que consideram dignos de reconhecimento em qualquer uma das 53 categorias nas quais desejam participar. "Chamamos então mais de 150 especialistas em música para participar dos comitês de revisão. Eles não precisam ser membros de A Academia Latina e não ter direito a voto. Durante duas semanas, eles têm acesso a uma plataforma criada pela Academia Latina para ouvir as obras inscritas e votar em cada uma. À medida que as aceitam, eles decidem a que gênero pertencem", acrescenta. 
 
Após o trabalho dos comitês de revisão, como o processo continua? 
A equipe de A Academia Latina, então, reclassifica devidamente as inscrições e convoca os membros votantes para o primeiro turno de votação. Cada membro pode selecionar dez indicados em cada uma das quatro categorias gerais — Álbum do Ano, Canção do Ano, Gravação do Ano e Melhor Artista Revelação — e cinco indicados nas 15 categorias adicionais. O aplicativo de votação mantém o controle dos votos e impede a votação em mais de uma categoria. Os votos são enviados diretamente à firma de auditoria Deloitte, que os tabula sem serem vistos ou revisados pela Academia Latina. A Deloitte nos fornece a lista dos semifinalistas: os 20 produtos que receberam mais votos em cada categoria geral e os 15 produtos com o maior número de votos em cada categoria específica. O Comitê de Revisão de Indicações, composto por membros votantes, então garante que o processo tenha sido realizado corretamente. 
Dousdebés assegura que "quando um artista recebe uma indicação ou ganha um Latin GRAMMY, seu nome artístico muda para o resto da vida" e acrescenta: "se podemos mudar a vida de alguém, abrindo portas e facilitando a consolidação de seus sonhos e sua profissão, eu acho que o processo vale a pena". 
 
Quem monitora e como todo o processo de seleção e votação é controlado? 
Nossos auditores da Deloitte, embora não possam votar, participam de quase todos os comitês e garantem que nenhum de seus membros tenha um conflito de interesses. A Deloitte faz, então, sua tabulação e, no dia das indicações, anunciamos os resultados dessas votações. Da mesma forma, uma vez terminado o processo de votação, a Deloitte pega essa informação e fecha nossa plataforma de votação. Não temos nenhum acesso a ela. Eles fazem sua análise novamente e preparam os envelopes que são abertos durante a premiação, seja na Premiere ou na Entrega. Nenhum de nós na Academia Latina sabe quem vai ganhar até o momento em que o envelope é aberto durante o espetáculo. 
 
Qual a diferença entre Latin GRAMMY e GRAMMY? 
Para o GRAMMY, o produto pode estar em qualquer idioma, mas deve ter sido lançado nos Estados Unidos. A Academia Latina da Gravação premia o Latin GRAMMY a projetos com pelo menos 51% do conteúdo em espanhol, português ou línguas indígenas, independentemente de onde foram lançados. 
 
Vocês recebem pedidos de artistas ou pessoas da indústria para se tornar membro de A Academia? Quais são os passos para se tornar membro? 
Recebemos uma avalanche de solicitações de afiliação. Todas as informações sobre afiliação e prêmios estão disponíveis em três idiomas em nosso site, incluindo o formulário de solicitação de afiliação. Após receber as informações, nosso departamento as revisa e entra em contato com o solicitante para pedir qualquer informação adicional necessária. Depois disso, a afiliação é aprovada ou não. Tentamos sempre dar um tratamento personalizado a todos. 

 


 

LEIA MAIS: Gabriela Abaroa, do Grammy Latino: “O mercado mundial está aberto ao Brasil” 

LEIA MAIS: Caetano e Tom Veloso levam gravação do ano no Grammy Latino 


 

 



Voltar