No

cias

Notícias

Marcelo Castello Branco é reeleito à presidência do Conselho Administrativo da CISAC
Publicado em 27/06/2022

O diretor-executivo da UBC é o primeiro latinoamericano reeleito para o cargo responsável pelas decisões estratégicas e administrativas da confederação

Do Rio 

O diretor-executivo da UBC, Marcelo Castello Branco, acaba de se tornar o primeiro latinoamericano reeleito por unanimidade como Presidente do Conselho de Administração da Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores (Cisac), a principal rede mundial de sociedades de autores e gestoras de direitos autorais. A nomeação aconteceu na última quinta-feira (23), na primeira reunião do novo Conselho, em Paris. Antes disso, em 2019, Marcelo também foi a primeira pessoa da América Latina eleita para o cargo. 


Marcelo Castello Branco - foto: Miguel Sá 

O Conselho Administrativo é o órgão da Cisac responsável pelas decisões estratégicas e administrativas da confederação, que completa 96 anos em 2022 e congrega mais de 200 sociedades de gestão coletiva de direitos autorais, em 122 países. O mandato dos integrantes do Conselho de Administração é de três anos. O encontro contou com a presença de três novos sociedades-membras da Cisac: BMDA do Marrocos; Dama da Espanha; e VG BILD-KUNST da Alemanha.  

Durante a cerimônia, o executivo brasileiro afirmou: 

“Estou profundamente honrado por ser renomeado como Presidente do Conselho da CISAC. Com esta posição vem a enorme responsabilidade de trabalhar em conjunto com todos os meus colegas, e com a equipe CISAC, para lidar com as constantes e intermináveis mudanças no cenário da música global. Nossa responsabilidade e olhar é para os quase quatro milhões de membros em todo o mundo, para quem a CISAC trabalha para construir um ambiente melhor e mais justo. Este é um momento de adaptabilidade, de um entendimento comum de como continuar melhorando e criando mais valor para comunidade de autores e criadores”. 

Sediada na Cidade Luz a quase centenária Cisac trabalha para proteger os direitos e promover os interesses dos criadores em todas as regiões do mundo em diversos campos artísticos que vão da música ao audiovisual, passando pelo teatro, literatura e artes visuais. A entidade representa cerca de quatro milhões de autores ao redor do mundo. 

LEIA MAIS: Entrevista: Marcelo Castelo Branco 

LEIA MAIS: Cisac lança em Paris seu Relatórioa Anual 2022 


 

 



Voltar