No

cias

Notícias

Oito curiosidades sobre as oito décadas de vida de Caetano Veloso
Publicado em 05/08/2022

Imagem da notícia

Foto: Fernando Young/Divulgação

Relembre marcos da vida dessa lenda viva da música brasileira, às vésperas de se tornar octogenário

Do Rio 

2022 é, com certeza, um ano especial para a música brasileira. Um século depois da Semana da Arte Moderna de 1922, pudemos celebrar os 80 anos de Gilberto Gil, vencedor do Prêmio do Compositor Brasileiro de 2017, e do mestre Paulinho da Viola. Agora, é a vez de Caetano Veloso se tornar um octogenário.  

Filho legítimo do Recôncavo Baiano e compositor inigualável, Caetano tem uma trajetória que se mistura à da própria cultura brasileira nas últimas décadas. Junto de Gil, encabeçou o Tropicalismo, foi preso e exilado durante a ditadura militar, compôs canções que se tornaram hinos de gerações e projetou seu nome mundo afora. E se mantém atualizado e posicionado, seja na arte, na política ou na vida, o que aparentemente, para ele, não há separação. 

Para comemorar 80 décadas de vida de Caetano, relembre (ou descubra) oito curiosidades sobre sua carreira: 

1) Primeira canção gravada aos 10 anos 
Trilhando o caminho da música por mais de 60 anos, Caetano gravou uma canção pela primeira vez aos 10 anos de idade. Ele interpretou a música “Feitiço da Vila”, de Noel Rosa e Vadico, junto com sua irmã, Nicinha, que o acompanhou no violão. 

2) Como (quase) todo bom artista, Caetano já fez parte de uma banda 
Com Gilberto Gil, Maria Bethânia e Gal Costa, formou o “Doces Bárbaros”, em 1976. O grupo tinha a finalidade de realizar uma turnê pelo Brasil para comemorar os dez anos de sucesso em suas carreiras individuais. E acabou ficando. 

3) Veloso já comandou programas de TV 
Fã assíduo de televisão, ele chegou a apresentar programas de TV. No total, foram três: Divino Maravilhoso (exibido na antiga TV Tupi), Conexão Internacional (antiga TV Manchete) e Chico e Caetano (Rede Globo). 

4) O sucesso de “Odara” se tornou gíria nacional 
Na década de 70, o nome de uma das canções de Caetano, “Odara”, acabou virando gíria. Na época, o termo era utilizado como sinônimo de hippie ou alienado. Anos depois, ressurgiu, na comunidade LGBTQIA+ principalmente, como tradução para maravilhoso, incrível - numa acepção, talvez, mais fiel à da letra original. 

5) Reconhecimento nas revistas 
A grandiosidade de sua carreira foi reconhecida por duas revistas de peso: Vogue e Rolling Stone. Na primeira, Caetano teve uma edição totalmente dedicada a ele. Já na segunda, foi eleito como o 4° maior artista da história da música brasileira.  

6) Os números de Caetano 
Segundo o ECAD, o artista possui 631 músicas e 1.953 gravações cadastradas. Dentre elas, as três mais tocadas no Brasil nos últimos 10 anos foram “Sampa”, “Você é linda” e “Você não entende nada”. Já na liderança do ranking das mais gravadas ficou “Baby”, seguida de “Sampa” e “A rã”. 

7) Premiações 
Ao longo de sua carreira, Caetano foi indicado e ganhou diversas premiações. Entre elas, o Grammy Award com o melhor álbum de World Music, o Grammy Latino, por diversos anos e categorias distintas, e o Prêmio da Música Brasileira. O mais recente reconhecimento foi conquistado no ano passado, na 22ª edição do Grammy Latino, ao levar um prêmio histórico para casa: pela primeira vez, um artista brasileiro venceu a categoria Gravação do Ano. Caetano ganhou o troféu com o samba-canção “Talvez”, composto por Tom Veloso, em parceria com o violonista Cezar Mendes, e lançado em single nas vozes de pai e filho. 

8) Show de 80 anos 
Caetano vai comemorar seu 80º aniversário em cima do palco, neste domingo (7). Ao lado dos filhos Moreno, Tom e Zeca, e da irmã Maria Bethânia, o “Especial Caetano Veloso 80 anos” vai contar com exibição pelo Globoplay e pelo Multishow a partir das 20h30. 

LEIA MAIS: Artistas defendem restrição a paródias musicais nas eleições 

LEIA MAIS: Caetano e Gil são indicados ao Grammy 2017 


 

 



Voltar