No

cias

Notícias

Projeto Impulso anuncia participantes
Publicado em: 05/06/2019

Criadores de Pernambuco, Paraná e Rio de Janeiro desfrutarão de mentoria, capacitação e networking com grandes nomes do mercado ao longo de um ano

Do Rio

Foi um mês e meio de muito trabalho para a equipe de seleção, tanto na UBC como entre os curadores especializados que, agora, serão os mentores dos artistas. E, finalmente, depois de analisadas com lupa as 391 candidaturas, temos o orgulho de anunciar: o cantor e compositor Romero Ferro (PE) e as bandas Mulamba (PR) e Canto Cego (RJ) serão os três projetos participantes da primeira edição do Projeto Impulso. Ao longo de um ano, eles receberão uma preciosa mentoria de nomes consolidados do mercado, terão capacitação prática para pôr suas ideias no papel e participarão de networking para ampliar sua rede de possibilidades e, assim, fazer suas carreiras avançarem.

Com projetos de alta qualidade, houve muitos empates nas primeiras listas elaboradas pela equipe da UBC e pelos onze curadores/mentores espalhados por todo o Brasil. Foi preciso, assim, um grande esforço de avaliação das candidaturas para peneirá-las e chegar aos vencedores. "Fizemos um sistema de pontuação, mas, no final, tivemos que partir para uma repescagem, dados os empates. Após reduzir a enorme quantidade de inscritos a 20, tivemos a dura função de reduzir tantos projetos de enorme valor a apenas três", afirma Elisa Eisenlohr, gerente de comunicação da UBC e idealizadora do Impulso.

Tamanhas descentralização e fragmentação no processo de seleção foram, para o gestor da iniciativa, Iuri Freiberger, um grande diferencial em relação a outros editais do gênero. "Não houve panelinha, não houve junção de vários curadores em torno de um mesmo ou de poucos nomes. As listas de pré-aprovados foram variadíssimas, refletindo a gigantesca pluralidade dos projetos.”

Os três projetos já foram comunicados e oficializados. E haverá ainda dois suplentes, para o caso de um contratempo qualquer impossibilitar a participação de algum dos três primeiros colocados. Em quarto e quinto lugares ficaram, respectivamente, os cantores e compositores Pedro Salomão (SP) e Bemti (MG).

A primeira atividade do projeto será durante o evento UBC Sem Dúvida, no começo de julho, no Rio de Janeiro. Na ocasião, haverá o primeiro contato pessoal entre os três projetos vencedores e os curadores, que darão início a trabalhos individualizados, garantindo que cada artista/banda estabeleça metas de carreira de acordo com seu perfil. Recursos de R$ 5 mil a R$ 15 mil ajudarão os participantes a desenvolver suas ideias.

Superpoderosas

A alta participação feminina chamou a atenção dos selecionadores. De fato, a banda Mulamba, eleita uma das melhores entre os inscritos, é composta unicamente por mulheres. A outra, Canto Cego, tem participação equivalente de homens e mulheres. “São meninas que já estão aí, criando seu espaço, musicistas de alta qualidade que contribuem com um grande esforço pela consolidação da trajetória feminina na nossa música”, analisa Freiberger. "Foram muitos projetos inovadores, e isso é algo que deve ser observado numa seleção como essa. Porque ideias interessantes agregam muito para o futuro. Este é o princípio do Projeto Impulso, que será construído aos poucos." Para ele, é muito revelador sobre o panorama atual da música independente brasileira a alta prevalência de projetos de MPB e reggae entre os 391 inscritos (dos quais, 279 foram validados ao atender a todos os pré-requisitos, como serem associados à UBC e já terem tido algum tipo de ganho com direitos autorais de execução pública). 

Os ganhos que os artistas participantes terão vão muito além do período de participação de um ano. O objetivo é prover-lhes de instrumentos que lhes permitam tomar melhores decisões e orientar suas carreiras por muitos anos. "Vemos o Projeto Impulso como uma ferramenta aceleradora não proprietária, para abrir novos caminhos de longevidade artística para os participantes. A produção musical brasileira é rica e descentralizada, mas, com a oferta descomunal de talentos, um projeto de mentoria 360 graus pode aumentar a oportunidades real dos comtemplados", conclui o diretor-executivo da UBC, Marcelo Castello Branco.

Nos próximos dias, confira aqui no site da UBC e na página especial do projeto Impulso um resumo das trajetórias de Romero Ferro, com sua mistura potente de eletrônica, pop, brega e outros sons que revelam sua forte verve de pesquisador musical; da banda Mulamba, com seu rock de alto naipe feito por mulheres que buscam voz, espaço e respeito; e da banda Canto Cego, com seu rock poético surgido na comunidade da Maré e que foi o primeiro nome confirmado no novo espaço do Rock in Rio, o Palco Favela.


 

 



Voltar