No

cias

Notícias

Cinco perguntas para Donatto
Publicado em: 09/10/2019

Imagem da notícia

Aos 18 anos, compositor de canções para diversos artistas pop, como Nego do Borel, Ludmilla, Belo e Buchecha, comenta sua carreira tão precoce e os planos para o futuro

Do Rio

Quase 640 mil seguidores no Instagram, uma novela e alguns programas de TV no currículo, além de composições, arranjos e programações para Anitta, Belo, Buchecha, Ludmilla, Nego do Borel e Lexa, entre muitos outros. Nada mal para quem só tem 18 anos. Aposta recente do superprodutor Umberto Tavares, o curitibano radicado no Rio Donatto ainda é multi-instrumentista (toca violão, piano, teclado, banjo, ukulelê, flauta, bateria, guitarra e cavaquinho) e milita em estilos variados, com forte inclinação para o pop. 

Ele estourou nos programas “Ídolos Kids” e “Chiquititas” (SBT). Agora, planeja novos voos, inclusive a produção, como conta neste rápido papo com o site da UBC. 

 

Como foi seu primeiro contato com a música? Quem o inspirou em casa?

Quando eu era pequeno, meu tio tocava violão na igreja, e eu ficava ali, de olho. Um dia, ganhei um violão de R$ 1,99 e nunca mais me separei da música. Minha mãe, principalmente, sempre me apoiou e fez de tudo para o meu sonho se tornar realidade. Minha avó era quem me levava ao conservatório de MPB onde estudei violão. 

Quantas composições você tem? E quantas foram gravadas?

Para ser bem sincero, eu não fiz ainda um cálculo de quantas composições tenho, porém gravadas tenho algumas nas vozes de Ludmilla, Nego do Borel, Belo, PK, Buchecha, Clau, Xama, Gabily, DDP Diretoria, Kevin o Chris, BFF Girls, entre outros. Além disso, tenho várias outras que estou finalizando e que ainda não foram gravadas. Estou sempre criando algo novo.

Que tal o trabalho com o Umberto Tavares? Algo mudou na sua carreira desde o início dessa parceria?

Minha vida mudou, o Umberto, tanto como pessoa quanto profissionalmente, é algo absurdo. A visão dele em relação a tudo é incrível, me espelho muito nele e escuto muito. Meu trabalho como artista, compositor e arranjador amadurece muito com a orientação do Umberto.

Como você define atualmente o seu estilo? Em que gênero se sente mais à vontade criando?

Gosto de tudo, me inspiro e me influencio por vários segmentos. Eu amo a versatilidade de compor em qualquer gênero, mas sou pop e, dentro dele, permeio vários caminhos e estilos, com isso não fico engessado. 

Que planos de carreira você tem para os próximos anos? Onde se vê dentro de, digamos, uma década?

Me vejo com 28 anos cantando mais músicas e compondo muito mais do que já componho, tendo outra visão em relação a tudo isso. E, quem sabe?, tendo o meu estúdio.


 

 



Voltar