No

cias

Notícias

Festa emotiva e estrelada marca abertura da Casa UBC
Publicado em: 29/11/2017

Repleto de compositores, o batismo do novo espaço cultural que marcou a entrega do Prêmio UBC para Gilberto Gil teve diversos shows, inclusive performance surpresa do homenageado

Do Rio

Fotos de Miguel Sá

Paulinho Moska e Sandra de Sá trocavam axés — e impressões sobre a música e a vida — num encontro carinhoso. Zeca Pagodinho (1,67) era só sorrisos enquanto posava para fotos abraçado às lindas Iza e Mariana Volker, ambas com mais de 1,80 e saltos altíssimos. O cartunista Lan, 92 anos, revisitava, emocionado, sua coleção de 80 caricaturas de grandes nomes da história da nossa música, restauradas e penduradas nas paredes ao redor. Erasmo Carlos, Antonio Cicero e Celso Fonseca confabulavam com vista privilegiada para a Baía de Guanabara... O batismo da Casa UBC, na noite da última terça-feira (28), foi a caráter. Repleto de compositores, como deveria mesmo ser, o novo espaço artístico que ocupa um andar inteiro no edifício sede da nossa associação, no Centro histórico do Rio, abriu suas portas para homenagear Gilberto Gil pelo conjunto da obra na entrega do Prêmio UBC.

                                                Antonio Cicero saúda João Bosco observado por Gil

Além de grandes nomes da criação, produtores lendários como André Midani e executivos de gravadoras, editoras e serviços de streaming estiveram entre os cem convidados que encheram de vida o centro cultural da UBC. A celebração à obra de Gil marcou a retomada de um prêmio que já existiu na década de 1980, teve caráter especial na sua retomada e, a partir de 2018, ganhará novas categorias.

“A nossa ideia é tentar espelhar um novo mercado, muito mais coletivo e menos centralizado do que no século passado. As próximas edições vão refletir isso. O Prêmio UBC quer destacar e homenagear quem faz a música acontecer”, disse Marcelo Castello Branco, diretor-executivo da nossa associação, que descreveu o momento da UBC, cada vez mais envolvida em atividades de promoção da música, estímulo ao mercado e apoio à carreira do compositor, como “um olhar definitivo para o século XXI”. “Este ano, vamos bater o recorde histórico de distribuição de direitos autorais aos titulares, superando os R$ 500 milhões”, ele antecipou, entre muitos aplausos dos presentes.

                                                   O cartunista Lan diante de algumas de suas criações recém-restauradas

Paulo Sérgio Valle, presidente da UBC, exaltou o surgimento da Casa UBC, “um espaço para todos os compositores e quem ama a música” e, na abertura do evento, relembrou um encontro inusitado com Gil. “Eu era piloto de avião e já tinha escrito algumas coisas, o Gil estava começando, e eu o cumprimentei. Você não deve nem se lembrar...”, disse, sendo prontamente corrigido pelo grande homenageado da noite: “Claro que me lembro! Foi na porta da cabine! Minha memória não anda na melhor fase, mas de coisas marcantes não me esqueço.”

Uma série de shows, todos com canções de Gil, abriu a festa. Maria Rita e Davi Moraes tocaram “O Compositor Me Disse”; Ana Vilela, em seguida, foi de “Um Trem Para as Estrelas”; Iza subiu ao palco da Casa UBC para cantar “Palco”; Celso Fonseca propôs “Vamos Fugir”; Mariana Aydar e Marcelo Jeneci cantaram “De Onde Vem o Baião”; Mariana Volker relembrou “Meu Amigo, Meu Herói”; e Silva, “Eu Preciso Aprender a Ser Só”.

                                                    Zeca Pagodinho entre Mariana Volker e Iza

Depois, foi o momento de Paulo Sérgio voltar ao palco e, antes de chamar o premiado, relembrar o ex-presidente da UBC e amigo Fernando Brant, morto aos 68 anos em 2015. Em seguida, subiu Zeca Pagodinho. “Nunca imaginei que estaria ao lado do Grande Gil entregando um prêmio a ele. Tanta gente poderia fazer isso, escolheram logo a mim!”, brincou, oferecendo o troféu ao vencedor do Prêmio UBC. Que, mal subiu ao palco, e foi surpreendido pelo amigo Zeca por um pedido para cantar. Não titubeou. “Aquele Abraço” e “Palco”, mandadas assim, em sequência, encerraram a festa, com participação dos outros cantores que haviam se apresentado antes (confira na foto que abre este texto) e colocando a plateia para cantar e dançar.

“Que festa bonita, UBC! Muito obrigado a vocês todos”, emocionou-se Gil, sendo abraçado por Erasmo e por outros dos muitos grandes compositores que passaram pela Casa UBC, como João Bosco, Geraldo Azevedo, Ronaldo Bastos, Elias Muniz, Manno Góes, Luis Carlinhos, George Israel e diversos outros.

                                                   Ana Vilela, uma das cantoras que homenagearam Gil durante os shows

Se a Casa UBC ficou estrelada, o bonito tributo feito anonimamente por gente das ruas, num vídeo gravado para Gil, arrancou aplausos e risos pela espontaneidade das mensagens. E serviu como símbolo da importância da obra desse grande compositor para milhões de brasileiros.

Nas nossas redes sociais (Twitter, Instagram e Facebook), confira mais imagens e grandes momentos da festa.

 

 



Voltar