No

cias

Notícias

Página da UBC no Facebook supera 30 mil seguidores
Publicado em: 09/02/2018

Imagem da notícia

Presença da nossa associação nas redes sociais é marcada, cada vez mais, pelo foco na autogestão de carreiras, nas notícias sobre o mercado e na difusão de exemplos de sucesso entre associados

Do Rio

A página da UBC no Facebook superou nesta sexta-feira (9) a marca dos 30 mil seguidores, o que faz dela a mais popular entre as mantidas pelas associações que compõem o Ecad. Ao extrapolar o próprio total de associados da UBC, o número mostra o sucesso da nossa estratégia de apostar numa crescente difusão de informações úteis sobre o mercado e os múltiplos desafios e oportunidades da carreira musical, alcançando o maior público possível e auxiliando-o a autogerir-se.

Além de estar presente na maior rede social do mundo, a UBC também publica conteúdo relevante — como entrevistas, transmissões ao vivo de bate-papos com grandes nomes do mercado e notícias importantes sobre direitos autorais — em outras redes sociais, como o Instragram, o Twitter, o YouTube e o LinkedIn. Somadas, as nossas redes atingem diretamente mais de 40 mil pessoas, priorizando a interação em nível pessoal e reforçando o esclarecimento de dúvidas, a abordagem de questões realistas, do dia a dia, bem como a publicação de iniciativas de sucesso.

A nova fase da presença da UBC nas redes sociais marcou o 75º aniversário da nossa associação, em 2016, e se tornou um símbolo de uma nova fase — um salto para o futuro, a reinvenção da mais antiga entidade de gestão coletiva musical do Brasil como uma organização que vai além da arrecadação de direitos autorais. Os diversos elos da cadeia musical ganham atenção especial, e, sem se esquecer do foco no autor, a nossa associação reforça a importância de quem produz, edita, interpreta, escreve, compõe, canta e faz a música acontecer.

“Vivemos hoje na música a era da autogestão, na qual a informação é um ativo essencial. Para gerir bem sua carreira e tirar bons frutos, quem vive de música precisa entender quais são seus direitos, por que eles existem, e precisa entender também como é o funcionamento do mercado hoje. Com conhecimento, é possível se situar nessa economia, além de impulsioná-la e ditar seus novos rumos. Disseminar informação e conhecimento através das nossas redes é um serviço importante que a UBC presta à cultura brasileira”, afirma Elisa Eisenlohr, coordenadora de Comunicação da associação.

 

 



Voltar