No

cias

Notícias

6 passos para vencer o bloqueio e criar música
Publicado em 30/12/2021

Compilamos dicas dos especialistas do think tank do Berklee College of Music para compor com regularidade

Por Ricardo Silva, de São Paulo

Todo mundo que cria arte já enfrentou, ao menos alguma vez, uma fase meio estéril, de poucas ideias e não muito o que dizer. A pandemia jogou muita gente boa nessa espiral. Chame-se ou não esse momento de bloqueio criativo, ele pode ser vencido com disciplina e algumas técnicas boladas por especialistas do think tank do americano Berklee College of Music, e que compilamos aqui: 

1 - Antes de falar (ou escrever), ouça

Está carente de inspiração e ideias? A escuta ativa é uma das melhores maneiras de se surpreender, aprender novas maneiras de criar e sentir-se estimulado(a) a pôr suas próprias ideias no papel. Uma maneira de transformar numa obra novinha em folha as sensações que a audição de novas canções lhe provoca é criando um diário musical. Separe uma caderneta ou agenda e, a cada audição de uma canção nova de que gostar, faça uma rápida análise do que contém essa música. 

  • Por que ela chamou a sua atenção? O que tem de diferente?

  • Qual a duração total? E quanto dura a introdução?

  • Há muitas transições?

  • A estrutura é clássica: três ou quatro estrofes e o refrão que se repete duas ou três vezes?

  • Que instrumentos foram usados?

  • A que outras músicas de que você gosta ela se parece?

Transformar essa pequena classificação num método sistemático tornará você bem craque na hora de identificar os gêneros e técnicas que mais o(a) atraem para compor suas próprias obras. Detectou misturas de gêneros (pisadinha, forró, sertanejo, arrocha ou tudo isso junto)? Atentou para as batidas por minuto (BPM)? Notou o predomínio de um instrumento sobre os demais? Escreva tudinho no diário. Quando tiver um bom repositório de análises feito, verá que estará cheio(a) de ideias para suas próprias músicas.

2 - Use bases pré-gravadas

Como a gente já mostrou em mais de uma ocasião aqui no site, diversas plataformas vendem bases pré-gravadas devidamente licenciadas para você inserir a sua letra e criar uma música. Para além de problemas com copyright que eventualmente poderão surgir (como o de um adolescente americano que bombou no TikTok com uma obra sua baseada em acordes pré-gravados e viu como um investidor adquiriu essa base em regime de buy-out, obrigando-o a pagar pelo uso), é uma maneira bastante fácil de compor. Isso, claro, se o seu ponto de partida são os acordes, e não a letra.

Algumas dessas plataformas são BeatStars.com, Airbit.com e Soundgine.com. 

3 - Busque a emoção. A sua e a dos demais

As canções que bombam nas rádios e nas plataformas de streaming, hoje em dia, têm produção, mixagem e masterização impecáveis. Muito antes de chegar a essa sintonia-fina tão incrível, porém, elas nascem na mente de um ou mais compositores que precisam tentar se conectar com o que a audiência espera. Para isso, seja honesto com suas emoções e sensível ao que sua audiência espera. Eric Hitchens, da startup Jumpstart EDM, dedicada à pesquisa sobre novos hits, elenca algumas características da composição para o pop que podem ser aplicadas a outros gêneros com mínimas adaptações. 

  • Melodia e batida devem ser cativantes. Não sabe se este é o caso da sua criação? Peça ao namorado, mãe, amigo ou colega de trabalho para ouvir e dar uma opinião sincera.

  • Refrães, transições, quebras/quedas devem ser épicos, provocar emoções em quem ouve. A música flat tem seu nicho, mas, se quiser alcançar as massas, busque a apoteose.

  • Pense em letras que se conectem com o dia a dia e os anseios das pessoas.

  • Busque a polêmica, por que não? Se o seu objetivo for se diferenciar e gerar barulho, falar sobre temas políticos ou mostrar um ponto de vista na letra que seja contracorrente é um bom caminho — pode não se conectar com a maioria, mas certamente cativará fãs fiéis que comungam das suas ideias.

4 - Constância é sinônimo de consistência

Dedique um tempo diário para criar. Mesmo que se sinta sem ideias. Separe duas horas, digamos, sente-se num lugar tranquilo e tente transformar alguns pensamentos soltos em estrofes, alguns acordes ao azar em uma sequência lógica. Pratique, seja constante. Mesmo que não consiga escrever uma canção inteira rapidamente, tentar estabelecer uma rotina de criação faz milagres. 

5 - Não tenha uma to-do-list (ou lista de tarefas); tenha um calendário

Quando você cria uma lista de tarefas dessas que distribuímos em bullet points, sem estabelecer uma meta para concluí-las, a coisa periga cair no esquecimento. Em vez disso, coloque suas tarefas num calendário (no celular, no papel, onde for) e consulte-o, ligue as notificações, pressione-se a si mesmo(a). Você talvez descobrirá que trabalhar sob pressão e com prazos não é exatamente a maneira menos artística do mundo de transformar suas ideias em obras de verdade. 

6 - Devagar e sempre

Acontece com todo mundo: a expectativa de criar algo grande — e a perspectiva de ter que trilhar um enorme caminho para isso — geram bloqueios. Em vez de pensar no álbum final e completo com o qual você quer ganhar o próximo Grammy Latino, por que não pensar em criar hoje apenas um refrão legal? Estabeleça pequenas tarefas, um passo de cada vez, para cada dia. Meses de trabalho duro (consulte o tópico 4 sobre constância), e você se surpreenderá com o que conseguirá conquistar. 

LEIA MAIS: Marisa Monte, João Bosco, Sueli Costa, Fausto Nilo, Ana Cañas, Edu e Edino Krieger dão dicas de mestre para compor

LEIA MAIS: 6 formas de bombar o lançamento da sua música

LEIA MAIS: 9 dicas para tornar suas músicas mais atraentes no YouTube


 

 



Voltar