No

cias

Notícias

Sony fecha acordo com Roblox e amplia ligação entre games e música
Publicado em 16/07/2021

Imagem da notícia

Jogo multiplayer dará visibilidade a artistas da gravadora e cada vez mais criadores musicais se aventuram nesse mundo

Por Akemy Morimoto, do Rio

O jogo Roblox assinou um acordo com a Sony Music Entertainment com o objetivo de aumentar o número de artistas da empresa no popular multiplayer online. Potencialmente, a aliança pode significar oportunidades de lançamentos exclusivos, shows online e difusão de canções dos artistas parceiros da plataforma. O cenário é vantajoso para o mercado musical, gera o aumento nos rendimentos e evidencia a tendência de artistas no mundo gamer, como Lil Nas X e Pabllo Vittar.

Os termos do acordo entre Roblox e Sony não foram divulgados. As empresas disseram que a parceria "oferecerá uma gama de novas oportunidades comerciais para os artistas da Sony Music" que conseguirão alcançar novos fãs e gerar diferentes fluxos de receita em torno do entretenimento virtual.

“ Com este novo acordo, esperamos expandir nossa parceria de sucesso com a equipe Roblox para gerar oportunidades comerciais entre música e jogos”, conta o presidente de negócios digitais globais e vendas da Sony Music nos EUA, Dennis Kooker, em comunicado.

Em junho, após resolver as reivindicações sobre direitos autorais de músicas dentro do jogo, a Roblox anunciou um acordo semelhante com a BMG, uma das maiores editoras musicais do mundo, por usar canções de artistas como Ariana Grande, Imagine Dragons e Ed Sheeran. Ainda no mês passado, a Associação Comercial da Indústria Editorial de Música Americana, (NMPA, em inglês), processou a Roblox em nome de seus membros em busca de indenização monetária de pelo menos US$ 200 milhões (cerca de R$ 1 bilhão) . 

O processo por infrações parece ter sido o alerta necessário para que a Roblox assumisse responsabilidades com a música. O acordo com a Sony aparenta ser um passo no sentido da regularização e um sinal de apoio à indústria artística. A parceria põe em evidência a crescente associação entre videogames e o mercado musical, que já teve iniciativas entre artistas, Fortnite, The Sims e Twitch, por exemplo.

LEIA MAIS: Sete dicas para um show online de sucesso
LEIA MAIS: Música para games: esse mercado tem jogo


GAME E MÚSICA TEM TUDO A VER

Ainda que não haja um acordo entre o Ecad e as grandes plataformas de videogames online, a organização segue acompanhando as tendências do mercado, estudando a necessidade de licença e aplicação de cobrança. Atualmente, a execução pública em jogos online ocorre apenas nos casos em que o game é executado via streaming.

“Estamos em negociação e buscando contato com empresas que realizam lives ou transmitam conteúdos com música em seus jogos, via streaming”, conta o Ecad.

Mesmo assim, o crescimento da indústria gamer evidencia uma grande oportunidade para a categoria musical. Um novo estudo da TechNET Immersive apontou que o mercado de jogos está avaliado em US$ 163,1 bilhões. Com isso, o setor se torna responsável por mais da metade do valor do mercado do entretenimento e supera o faturamento do cinema e da música juntos. Para a surpresa de muitos, os games também não são majoritariamente masculino. Segundo pesquisa do Datafolha, mulheres representam 47% do ramo nacional. 

Antes da pandemia da Covid-19, o setor já estava em alta. Em meio a um momento caótico mundialmente com o novo coronavírus, a indústria de games cresceu 140% só no Brasil. Segundo um estudo feito pela Visa, principal bandeira de cartões de crédito no país, as transações feitas dentro dos consoles e plataformas de jogo cresceram 140% em 2020. Esses números mostram que, além de mais usuários nas plataformas, os jogos atraem pessoas dispostas a gastar dinheiro. 

Está claro, então, que a indústria gamer é uma excelente forma de gerar diferentes fluxos de receita para música em torno do entretenimento virtual: por meio de ingressos onlines, streams, viralização de canções, venda de produtos, entre outros. Seja na estética dos clipes, temas de música ou performances nas plataformas, os jogos estão em alta e podem - e devem - ser aproveitados no mundo musical.

O acordo entre Roblox e Sony Music, por exemplo, acontece depois da realização de alguns eventos parceiros, como o show virtual do rapper norte-americano, Lil Nas X, em novembro de 2020. A live obteve mais de 36 milhões de views e marcou a estreia do hit “Holiday”.

O local virtual do show no jogo também incluiu vendas de produtos virtuais, minigames, caça ao tesouro, entrevista com Lil Nas X e outras atividades interativas. Mais recentemente, a festa de lançamento da cantora sueca, Zara Larsson, no Roblox, em maio de 2021, atraiu mais de quatro milhões de visitas, o maior número da ação no jogo até agora.

Quem acredita que o mercado de games ainda é restrito ao “nerds” e não tem nada a ver com música, está enganado e perdendo uma grande oportunidade. A indústria bilionária dos jogos conquista cada vez mais fãs, chama a atenção de marcas e tem o poder de viralizar músicas. 

“Ambientes online imersivos representam uma oportunidade significativa para alcançar um número crescente de fãs que desejam usar comunidades virtuais para desfrutar de experiências musicais compartilhadas”, afirma Dennis Kooker.

Com uma enorme potência, perfis variados de jogos e público equilibrado, os artistas da música não perderam tempo em se jogar nos games para divulgar seus trabalhos. 

Pabllo Vittar, por exemplo, marcou presença nos jogos. Em março de 2020, logo no início da pandemia, a artista esteve no The Sims 4. O jogo adicionou Pabllo na lista de celebridades que podem ser usadas como personagens no jogo na campanha “Jogue Com A Vida”.

Pabllo também esteve em um dos jogos mais populares do mundo, o Minecraft, no festival internacional AETH3R Minecraft Concert. Com participação de Pabllo Vittar, Pussy Riot, Rina Sawayama, Alice Glass, Uffie, Sophie Meiers, entre outros, o evento foi um sucesso. Durante as performances, os jogadores de Minecraft acessavam áreas especiais do jogo e interagiam com os artistas em um chat exclusivo. A drag queen, juntamente com Anitta e Luisa Sonza, lançou a música “Modo Turbo” com estética totalmente gamer. O hit já ultrapassa 138 milhões de views no e 88 milhões de streams.

Os cantores Pitty, Marcelo D2 e Criolo são referências quando se trata de conectar música com a rede Twitch. A plataforma de lives se destacou por transmitir jogos, mas tem cada vez mais profissionais da música conquistando espaço dentro da rede. 

Criado há um pouco mais de um ano, o perfil da cantora Pitty conquistou o público com sua programação variada e recebeu uma audiência de mais de 4,5 milhões de visualizações. Com direito a programação semanal, a artista aposta em temas com conteúdos exclusivos sobre sua carreira e de outros artistas, sempre com muita música.

Marcelo D2 produziu o álbum “Assim Tocam os Meus Tambores” pela rede social. O disco foi produzido no ano passado, em meio ao isolamento social, e gravado com mais de 150 horas de transmissão pelo Twitch. Diversos artistas, como Baco Exu do Blues, Juçara Marçal, BK, Criolo contribuíram, mas, D2 também pediu a ajuda dos fãs, que, com assinatura premium da plataforma, também podiam opinar pelo chat. O sucesso foi tanto que o artista gravou “Assim Tocam os Meus Tambores Volume 2'' da mesma maneira e com direito a Roda Cultural, festival virtual que durou 10 dias. Além dos processos criativos mostrados diretamente do estúdio, o encontro contou com DJ sets, shows, bate-papos e exibição de média-metragens.

O cantor e compositor Criolo se lançou na Twitch no começo de 2021 com  um show inédito produzido especialmente para a plataforma. O Criolo XR foi o primeiro concerto em realidade estendida do Brasil e a apresentação foi transmitida gratuitamente no canal do rapper. A live musical em XR do Brasil permite uma performance multifacetada, adaptada exclusivamente para a Twitch. O formato tem foco em um conteúdo para encantar visualmente e é inspirado na comunidade gamer da plataforma.

Mesmo que os shows online ainda sejam a melhor alternativa para a ausência dos espetáculos presenciais, o público já está saturado de lives corriqueiras no Instagram. Por isso, as experiências proporcionadas pela Twitch e pelos jogos mostram uma versatilidade maior quando o assunto é interação. É preciso estar atento ao mercado e investir na criatividade e nas tendências do mundo “gamer musical”.
 

LEIA MAIS: Shows ao vivo dentro de videogames online, mudança radical na música

LEIA MAIS: Música para videogames: uma nova fase


 

 



Voltar